a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

16 Avos de Final da Taça ...

segunda , Jan. 24 2022
36

2.ª Sul- AE Física D ...

segunda , Jan. 24 2022
29

TP- Parede vence ...

segunda , Jan. 24 2022
21

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
61645

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
30167

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
24459

HC Turquel vence Torneio ...

domingo , Out. 08 2017
1538

1º Encontro Nacional de ...

terça , Set. 29 2015
1483

Entroncamento recebe a ...

quarta , maio 22 2019
1236

3 Cabeleireiro Inicial

Terronia

hcbfcp

O FC Porto sofreu o primeiro desaire no nacional de hóquei em patins no reduto do HC Braga (3-2).
Depois de nove triunfos nas primeiras nove jornadas do campeonato, a equipa de hóquei em patins do FC Porto regressou à Terra. Ao final da tarde desta quarta-feira, no Pavilhão das Goladas, os líderes do nacional perderam frente ao HC Braga pela margem mínima (3-2) e viram esfumar-se um registo cem por cento vitorioso na prova. A combinação de resultados na capital do Minho e em Oliveira de Azeméis - onde a formação local bateu o SC Tomar - encurta para apenas um ponto a diferença entre o FC Porto e a Oliveirense no topo da tabela classificativa.

Gonçalo Alves ainda deu o primeiro aviso de meia distância, porém o HC Braga respondeu no ataque seguinte e Diogo Seixas concretizou uma arrancada com muito espaço. Em powerplay, os minhotos beneficiaram de nova oportunidade de ouro, mas foram incapazes de fazer o segundo muito por culpa de Xavier Malián. A 35 segundos da ida para as cabines, Rafa também foi admoestado com a cartolina azul e os bracarenses beneficiaram de mais um livre direto, que resultou no 2-0. Ao intervalo, o FC Porto era a equipa mais ofensiva e rematadora em pista, só que era também a mais perdulária e a que concedia mais espaço para contra-ataques.

Nos primórdios da segunda parte a pressão portista intensificou-se e o marcador era cada vez menos espelho do que se passava no rinque das Goladas. Precisamente no equador da etapa complementar, Rafa disparou forte para as redes de Leonardo Pais, filho de Franklim, e reduziu a desvantagem dos forasteiros. Numa altura em que os azuis e brancos se encontravam mais perto do empate do que nunca, um penálti cometido por Mali e convertido por Vítor Hugo complicou ainda mais a vida aos dragões. A primeira bola parada a favor dos da Invicta só chegou a seis minutos do término da contenda, sob a forma de uma grande penalidade que Gonçalo não desperdiçou. À medida que o encontro caminhava para o final, os comandados de Ricardo Ares apertaram o cerco ao de Tó Neves, mas estes conseguiram escapar com apenas nove faltas e com um triunfo contra a corrente do jogo (3-2).

Fonte- FC Porto