a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

CD Paço Arcos “B” abdica ...

sábado , Jun. 06 2020
0

Tiago Amaral assinou ...

sexta , Jun. 05 2020
94

Os manos Sousa, reforçam ...

sexta , Jun. 05 2020
123

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
58803

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
26652

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
21252

LE- Resumo do FC Porto – ...

sábado , maio 12 2018
713

S Alenquer B ...

terça , Set. 10 2019
487

“Esteves” vai treinar ...

sexta , Jul. 20 2018
527

pluri unhas J

97125083 1619673621543413 7725469142601433088 o

Treinador da equipa de hóquei em patins do FC Porto falou sobre o regresso aos treinos coletivos
A última vez que a equipa de hóquei em patins do FC Porto disputou um jogo oficial foi a 7 de março, dia em que goleou o Óquei de Barcelos (12-3) no Dragão Arena. Pouco tempo depois, a pandemia da Covid-19 manteve os atletas em casa durante praticamente dois meses, mas o início da segunda semana de maio trouxe o regresso aos treinos coletivos. Guillem Cabestany, treinador dos azuis e brancos, sublinhou a importância de voltar a ter os hoquistas na pista e a trabalhar em conjunto, algo que se tornou possível devido ao “grande esforço” do FC Porto, que fez tudo para proporcionar um regresso “com todos os cuidados e segurança”. “Todos nós estamos em dívida com o clube”, acrescentou o técnico espanhol do hóquei em patins portista.

Um regresso benéfico a todos os níveis
“Mais do que no aspeto físico, porque obviamente vamos voltar a parar, acho que vamos beneficiar no aspeto psicológico. E, embora os treinos em casa sejam um pouco mais reais para outros, para nós é totalmente irreal ter a sensação de um treino assim. Não voltar até à próxima época significaria cerca de cinco meses sem a dita sensação do hóquei em patins. É muito, muito bom voltar ao Dragão Arena, à pista, retomar o conhecimento com os patins, o stick, a bola, e este será o primeiro ponto de viragem, o positivo. Voltar a ver os atletas e estes voltarem a estar juntos (embora ligeiramente diferente), será bom para recuperar um pouco da normalidade. No fundo, acredito que nos aspetos técnico e físico será bom para recuperar, mas no aspeto psicológico será ainda mais importante. Quando me foram apresentadas as propostas para um regresso, com todos os cuidados e segurança, dei conta de que estamos mais seguros lá do que em casa O clube está a fazer um grande esforço para podermos treinar e estou muito grato. Nos meus cinco anos no clube, neste último mês o FC Porto demonstrou uma sensibilidade com todos os funcionários que superou todas as expectativas. Todos nós estamos em dívida com o clube.

Fonte/Foto- FC Porto

pluriform 1