a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Protocolo do Sistema de ...

quinta , Ago. 11 2022
33

Calendário da Elite Cup ...

quinta , Ago. 11 2022
58

WSE Continental Cup será ...

quarta , Ago. 10 2022
49

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
62208

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
31076

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
25217

FC Oliveira do Hospital ...

terça , Set. 23 2014
3132

Pavilhão do APD ...

quinta , Jan. 19 2017
1814

Video promocional do ...

sexta , Ago. 26 2016
1824

Curso Unhas de Gel Profissional 25h ed

sportingbarcelos1

É já num contexto de crise financeira que alguns clubes do Nacional da I Divisão estão a concluir a temporada e a preparar a próxima, sem dinheiro para pagar a jogadores e treinadores a partir da suspensão e posterior cancelamento da atividade desportiva devido à pandemia, segundo A BOLA apurou.
No topo da tabela geral, o Sporting já anunciou que reduziu os salários dos jogadores em 30 por cento e dos treinadores em 33 por cento. Mas o cenário é muito mais dramático em equipas amadoras abaixo no ranking à data do cancelamento da I Divisão, há precisamente uma semana. Há clubes com pequenos atrasos no pagamento dos apoios às equipas mas a tentar regularizar a situação, até porque o campeonato ainda não está fechado para aqueles com a possibilidade de discutirem uma liguilla para definir despromoções. Mas clubes que já garantiram a manutenção estão a assumir dificuldades ou mesmo a impossibilidade de pagar valores acordados até ao final da época, segundo A BOLA sabe. Pavilhões fechados e sem proporcionar receita própria aos clubes e retração dos municípios e das empresas, obrigadas a desviar as verbas de patrocínio, estão entre os principais motivos da crise.

Fonte/Foto- Jornal “A Bola” * Texto- Gabriela Melo

3 Quarta