a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Óquei de Barcelos viaja ...

sexta , Nov. 15 2019
61

FC Porto numa aventura ...

sexta , Nov. 15 2019
302

WS Europe Cup- Três ...

sexta , Nov. 15 2019
119

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
57581

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
25519

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
20329

Marc Torra tem um sonho

quarta , Ago. 15 2018
1202

AP Aveiro vai repetir a ...

quinta , Jul. 28 2016
3145

Reinaldo Garcia: "O golo ...

terça , Abr. 18 2017
1330

interioresinteriores

scpfcp

Por um erro arbitral de mau controlo de mesa houve uma indicação para entrada do jogador do Sporting antes de tempo, situação que levou o FC Porto a protestar,
O Sporting-FC Porto, jogo relativo à quarta jornada do campeonato e ganho pelos leões (3-0), ficou marcado por um erro arbitral depois da dupla exclusão a Gonzalo Romero e Giulio Cocco e no final o FC Porto assinou uma declaração de protesto, a qual deverá ser formalizada esta segunda-feira com os respetivos fundamentos.
Aos 43 minutos, quando Romero e Cocco foram excluídos, o FC Porto jogava em power play (superioridade numérica após azul a Ferran Font), o que impedia a aplicação da lei da paridade (só existe paridade quando as equipas têm o mesmo número de jogadores em pista), pelo que o Sporting passaria a jogar com três jogadores e o FC Porto com quatro, mas como não é possível ter apenas três jogadores em campo, os leões podiam meter mais um e a suspensão acumularia por mais dois minutos.
Por um erro arbitral de mau controlo de mesa houve uma indicação para entrada do jogador do Sporting antes de tempo, situação que levou o FC Porto a protestar, entendendo que deveria ter havido cartão vermelho ao banco do Sporting.
O jogo foi interrompido e foi aplicado o artigo 36, fazendo-se recuar o relógio para trás, até ao momento da ilegalidade, algo possível uma vez que a irregularidade foi detetada menos de cinco minutos após o erro.

Fonte/Foto- Jornal “O Jogo”

Domingo