a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Tiago Amaral assinou ...

sexta , Jun. 05 2020
69

Os manos Sousa, reforçam ...

sexta , Jun. 05 2020
99

“Marinho” renova com o S ...

sexta , Jun. 05 2020
69

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
58803

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
26651

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
21251

FC Porto 9-6 CD Paço de ...

segunda , Dez. 18 2017
663

«"A forma como ganhámos ...

terça , Jun. 20 2017
1105

Nada como um(a) Guia ...

domingo , Jan. 26 2020
366

pluri unhas J

fcpst

O FC Porto Fidelidade venceu este sábado a Oliveirense (6-4), no Pavilhão Dr. Mário Mexia, em Coimbra, conquistando assim a 23.ª Supertaça António Livramento da história do hóquei em patins azul e branco.
Os campeões nacionais entraram melhor no encontro mas foi a Oliveirense a marcar primeiro, por intermédio de Jorge Silva, logo aos dois minutos. A reação portista não se fez esperar e, num lance algo confuso, Rafa voltou a deixar tudo igual (9m). Da marca de grande penalidade, Sergi Miras consumou a reviravolta portista (16m), mas o compatriota Marc Torra atirou a contar para o 2-2 já perto do intervalo (24m).
Tal como na primeira parte, foi a Oliveirense a marcar primeiro na etapa complementar, através de Marc Torra (31m), mas Sergi Miras fez o 3-3 num remate indefensável para o ex-Dragão Nélson Filipe (35m). Na marcação do livre direto que castigou a décima falta da equipa de Oliveira de Azeméis, Giulio Cocco fez o 4-3 com grande categoria e assinou nova reviravolta dos azuis e brancos (40m).
Com dez minutos para jogar, o FC Porto Fidelidade manteve-se seguro perante uma Oliveirense sempre perigosa, mas o guardião portista ia dando conta do recado, anulando as situações mais perigosas da equipa de Garrido.
A um minuto de terminar a partida, Gonçalo Alves aumenta a vantagem do FC Porto (5-3), de grande penalidade, depois de uma falta de Jorge Silva sobre Carlo Di Benedetto. Segundos depois, Gonçalo Alves bisa e aumenta para seis o número de golos dos dragões (6-3). Marc Torra ainda marca a faltar 20 segundos para o final da partida (6-4), mas já não foi o suficiente para dar a volta ao resultado, numa ponta final extremamente intensa e com muita adrenalina de parte a parte.

Foto- Jornal "O Jogo"/Paulo Novais * Fonte- FC Porto