a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

1.ª D- Resumo AD ...

terça , Jan. 18 2022
18

2.ª Sul- “Bês” do ...

terça , Jan. 18 2022
13

1.ª D- Resumo do SC ...

terça , Jan. 18 2022
17

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
61630

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
30148

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
24445

SL Benfica- Paulo ...

terça , Set. 09 2014
3117

FC Porto com triunfo ...

domingo , Jan. 27 2019
882

João Almeida apresentado ...

sábado , Jul. 01 2017
2495

3 Cabeleireiro Inicial

Terronia

46512309 363606454375322 1190182772556169216 n

SC Marinhense- SC Tomar 3-3

O Embra recebeu este sábado a partida entre o SC Marinhense e o SC Tomar, equipas que vinham de derrotas da ronda realizada a meio da semana.
Jogo onde o SC Tomar poderia ter vencido com relativa facilidade, (esteve a vencer por 3-0) mas a “aversão” nas bolas paradas, por parte dos jogadores ribatejanos, acabou por catapultar o Marinhense para uma parte final de jogo onde só não venceu porque Diogo Alves segurou, o empate para a equipa nabantina.
Num rinque a acusar muita humidade, e com isso o hóquei das equipas a ser afetado, entrou melhor a formação tomarense que cedo tomou conta do jogo e foi dominando a partida.
Aos 9 minutos, primeira grande oportunidade para o SC Tomar inaugurar o marcador, mas Guilherme Silva permitiu a defesa de Nuno Peça, na marcação de uma grande penalidade.
Mas aos 13 minutos João Sardo inauguraria o placard, numa fase de clara ascendência do SCT no jogo.
Ivo Silva pouco depois aumentou para 2-0, e aos 19 minutos foi novamente João Sardo, agora de LD a fazer o 3-0. Um resultado que se aceitava e onde o SC Tomar controlava a criava de forma sistemática situações de golo, que por isto ou aquilo iam sendo desperdiçadas.
A 30 segundos do intervalo, é assinalada uma GP ao SC Tomar e Nico Carmona, chamado a converter, não perdoa.
Segunda parte onde o SC Tomar entrou bem, e aos 10 minutos mais uma GP, desta feita a favor do SC Tomar, mas Hernâni Dinis, envia a bola ao lado. O mesmo jogador poucos segundos depois acaba por fazer uma falta dentro da área da sua equipa e vê a dupla de arbitragem assinalar uma GP que Nico Carmona não desperdiça colocando o resultado em 3-2.
O Marinhense começou a acreditar que poderia chegar, no mínimo ao empate, e depois de João Sardo ter, mais uma vez, desperdiçado um LD (CA a Gonçalo Domingues), chega mesmo ao 3-3 na marcação de um LD (10.ª falta do SCT), por intermédio de Gonçalo Domingues, corria então o minuto 20.
Últimos minutos onde a bola rondou com muito perigo as duas balizas, obrigando, tanto Nuno Peça como Diogo Alves, a trabalho aturado e o SC Marinhense teve a última grande oportunidade de poder fazer golo, e que daria a vantagem no placard, mas “Nico” Carmona a não conseguir desfeitear Diogo Alves na marcação de uma GP.
O SC Tomar sai da Embra com apenas um ponto e só pode queixar-se de si mesmo, já que dispôs de oportunidades soberanas em inúmeras situações para ganhar uma vantagem confortável e três bolas paradas, que não conseguiu converter.
O Marinhense que teve dificuldades em conseguir fazer o seu jogo, em grande parte da partida, acreditou, foi humilde, e quase que dava “KO” ao SC Tomar, numa fase final de encontro, imprópria para cardíacos.
Um empate que se aceita pela perseverança da formação da cidade vidreira e penaliza um SC Tomar perdulário e sem ideias na parte final do jogo, onde alguns jogadores acusaram o esforço físico despendido e quase colocaram em causa a repartição de pontos.

Foto- Ricardo Rodrigues