a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

SL Benfica tem plantel ...

sábado , Jun. 06 2020
35

Eduardo Marques- “A vida ...

sábado , Jun. 06 2020
116

João Santos fecha a ...

sábado , Jun. 06 2020
67

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
58807

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
26655

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
21254

Sporting CP- Tabelas ...

sexta , Set. 01 2017
2045

Camp. Nac. Norte - 2.ª ...

segunda , Mar. 02 2015
1641

Valter Neves: "A equipa ...

sexta , Abr. 06 2018
486

pluri unhas J

8AVF 1M HCT SCRASO 2 CH

HC Turquel – SCRA Saint Omer 2-1

Encontro da 1ª Mão dos Oitavos-de-Final da Taça CERS e receção do HCT ao líder do campeonato francês, o SCRA Saint Omer, clube que conta nos seus quadros com os jovens Xavier Lourenço e Eduardo Leitão, formados no nosso clube e também com Pedro Chambell, filho da antiga glória alvinegra, António Chambell. Foi, portanto, um regresso a casa, principalmente para os dois primeiros, que foram muito acarinhados antes, durante e depois de um jogo que teve equilíbrio e nuances táticas bastante rígidas até ao 2-1 final. O resultado ficou mesmo feito no primeiro tempo, depois de uma entrada a prometer de ambos os conjuntos, com dois golos (um para cada lado) no primeiro terço da primeira metade e ainda uma penalidade desperdiçada por Vasco Luís. Mas foi “fogo de vista”, a partir daí a partida entrou numa toada tática rígida, com os franceses a defenderem a contento, não consentindo contra-ataques e com o HCT, depois de alguns jogos menos conseguidos, a mostrar solidez defensiva e muita competência a proteger a baliza de Tuga para levarem uma vantagem curta (2-1) mas real para a 2ª Mão em França em Janeiro.
Primeiro tempo com os turquelenses a entrarem com duas alterações no cinco inicial habitual, depois de Jorge Godinho promover a titularidade a Daniel Matias e a Luís Silva na 2ª linha ofensiva alvinegra, em detrimento de Pedro Vaz e de André Pimenta, sendo que na frente de ataque Vasco Luís voltou a ter a companhia de André Moreira. Do lado francês os “turquelenses” Edu Leitão na baliza e Xavier Lourenço na frente tiveram lugar no cinco inicial escalonado pelo técnico Fabien Savreux, mas o jogo não começou bem para os forasteiros que logo aos quatro minutos viram Luís Silva fazer o 1-0 numa stickada enrolada ao primeiro poste, depois de uma boa assistência de Daniel Matias, num lance em que Edu Leitão não ficou bem na fotografia. O jogo ficou vivo e teve um período em que as equipas esticaram mais as suas linhas ofensivas, com contra-ataques sucessivos, sendo que numa dessas transições Vasco Luís surgiu no frente a frente com Edu Leitão, stickou forte e o guardião defendeu sem stique. Penalty assinalado pela dupla de arbitragem que viajou desde Espanha, mas que Vasco Luís não conseguiu converter em golo, permitindo boa intervenção ao guardião natural de Peniche, formado na “aldeia do hóquei”. Três minutos depois, na outra área, o galego Jacobo Mantiñan foi impedido de jogar a bola por Daniel Matias e novo penalty, desta feita para a equipa francesa. O “filho da terra”, Xavier Lourenço, foi para o “cara a cara” com o amigo de longa data, Tuga, e levou a melhor sobre o guardião alvinegro, igualando a partida a uma bola. Os da casa não sentiram o toque e mantiveram o ritmo forte que impuseram desde cedo, conseguindo reagir dois minutos depois, ao chegarem ao 2-1 num remate rasteiro de primeira no coração da área, por intermédio de André Moreira (excelente assistência desde trás da baliza do capitão Vasco Luís). Até ao intervalo não existiram mais alterações no marcador e no descanso a vantagem (2-1) era dos visitados.
Na etapa complementar a equipa do Saint Omer “cerrou fileiras” à frente da baliza de Pedro Chambell (substituiu Edu Leitão ao intervalo) e foi sempre muito agressiva no ataque ao portador da bola, não dando grandes veleidades ao HCT para criar perigo. Do outro lado os turquelenses também mostraram qualidade no processo defensivo, protegeram quase sempre bem a baliza de Tuga e os visitantes apenas conseguiram criar perigo em meias-distâncias batidas ou bombeadas para tentativas de desvios, sempre sob a batuta do internacional francês Mathieu Le Roux (excelente jogo) e do seu capitão, o catalão Marçal Cuenca, que fez bom uso da sua poderosa meia-distância. O HCT mostrou argumentos para poder sair da letargia a que se encontrou sujeito nos últimos jogos disputados, tendo tido algumas oportunidades para aumentar a vantagem, mas Pedro Chambell respondeu muito bem na defesa da baliza francesa, com destaque para a uma defesa a sitckada de primeira de Vasco Luís na área. A três minutos do fim, oportunidade soberana para os forasteiros igualarem o jogo e levarem a eliminatória empatada para o encontro da 2ª Mão, no livre direto da 10ª falta de equipa do HCT. No entanto, Jacobo Mantiñan não conseguiu superar a oposição de Tuga, que desviou de forma subtil a bola para a trave da sua baliza, assegurando a primeira vitória (2-1) turquelense, após seis jogos sem vencer (4 derrotas e 2 empates) e mais de um mês depois do último triunfo (3-5 em Genève na 1ª Mão dos 16 Avos-de-Final da Taça CERS, a 4 de novembro de 2017).


Árbitros: Sergi Mayor (Espanha), Alberto Lopez (Espanha), Orlando Ramos (3º Árbitro) [Portugal] e António Peça (4º Árbitro) [Portugal]

H.C. Turquel- Marco Barros “Tuga” (GR), Daniel Matias, Luís Silva (1), Vasco Luís (C), André Moreira (1), Pedro Vaz, André Pimenta e João Silva “Janeka”. Não jogaram- Samuel Santos (GR) e Tiago Mateus.
Treinador: Jorge Godinho

S.C.R.A. Saint Omer- Eduardo “Edu” Leitão (GR), Marçal Cuenca (C), Xavier “Xavi” Lourenço (1), [Mathieu Le Roux, Jacobo Mantiñan, Pedro Chambell (GR), Ronan Ricaille, Tom Mfuekani e Quentin Podevin. Não jogou-Givency Tshilombo.
Treinador: Fabien Savreux

Fonte – HC Turquel * Foto - Carmo Honório

workshops para rodapé Noticias VernizGel