a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

X “CIRA HÓQUEI”- 2020

terça , Fev. 18 2020
11

AP Lisboa- A voz aos ...

terça , Fev. 18 2020
4

CNF- Leoas vencem em S. ...

terça , Fev. 18 2020
17

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
58205

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
26109

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
20782

Angola: Campeã inicia ...

sábado , Set. 29 2018
406

Paulo Freitas- "Não há ...

sexta , Dez. 29 2017
757

Campeonato Sul Americano ...

segunda , Nov. 20 2017
648

interioresCabeleireiro ESS Q

14741232 1440186379329059 2097424952 n

Depois de vermos atletas masculinos a imigrar, chegou a vez de ver uma jogadora feminina, no caso Marta Vieira a ir para Espanha onde vai representar o Réus Deportiu, Clube Catalão, um dos históricos de Espanha.
Se a nível masculino o Clube está na élite, já o mesmo não se passa com a equipa feminina. Disputa a Liga Catalã mas a aposta é a subida à OK Liga Feminina, e a contratação da jogadora internacional tem como finalidade esse objectivo, de chegar ao topo.
Fomos ao encontro da “Martinha” para saber como surgiu este convite.
Este ano penso que foi uma época muito bem conseguida, muitas pessoas falaram sobre o meu regresso ao Vila Boa do Bispo, o certo é que recebi um total de oito convites, um deles do Réus, abordaram-me sobre o meu interesse, falei o que tinha para falar, fui conhecer e fiquei encantada. Agora acabo de chegar cá. Que tudo corra tão bem como na semana que cá passei no verão”.
Naturalmente que é uma responsabilidade acrescida, até porque o Réus disputa o Nacional Catalão. “Muita gente se questiona por eu ter escolhido uma equipa da nacional catalã e não da OK Liga, o que se passou foi que quando lá estive gostei tanto que dei a minha palavra que viria, não ia depois voltar atrás só porque surgiu oportunidade de jogar na ok liga, o réus é um grande clube a nível masculino e quer elevar a fasquia no feminino. Se é para ser um desafio que seja um desafio de verdade, pelo que dizem a divisão é igualmente competitiva sobre tudo para nós que vamos lutar para subir. E que temos de dar o nosso melhor para aproveitar esta época para crescer para a próxima etapa se tudo correr bem”.
Questionada se não a assustava mudar de país e para um hóquei, certamente diferente a resposta de “Marta Vieira vem célere.
Assustar? Assustar não é a palavra certa, tenho algumas preocupações claro, mas teoricamente eu fiz a escolha que era melhor para mim, a correr bem sei que este passo vai ser um bom passo para eu dar, custa claro deixar a família os amigos, ontem foi aliás super difícil me despedir deles mas todos eles me dizem "vais em busca de algo melhor, vais fazer aquilo que gostas, luta pelo que queres, nós cá estaremos" e eu sei que estarão, estão sempre não me canso de lhes agradecer por isso, eles ajudam me imenso em tudo. Pior vai ser a falta que me vão fazer, até os sermões. Quanto ao hóquei, não sei o que esperar só mesmo depois de la estar é que vou ter noção. Era bom me adaptar fácil mas se não for fácil há que adaptar a mesma”.
Quisemos também saber quais os objectivos pessoais e colectivos que leva na bagagem nesta nova aventura na sua carreira desportiva e Marta adiantou que vem “ajudar a equipa a atingir os objectivos, ser o melhor que eu posso ser, deixar os meus orgulhosos, representar bem o hóquei português, penso que será por aí. Espero no final ser a pessoa realizada que me encontro neste momento depois do mundial que fizemos”, concluiu.

workshops para rodapé Noticias EscovaProgressiva