a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Filipe Bernardino fica ...

segunda , Jun. 24 2019
124

Rodolfo Santos e a ...

segunda , Jun. 24 2019
288

Torneio Internacional de ...

segunda , Jun. 24 2019
368

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
56880

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
24864

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
19842

André Teixeira reforça ...

segunda , Jun. 29 2015
1273

Miguel Ferraz continua ...

quarta , Set. 10 2014
2356

Vídeo Resumo - Camp. ...

terça , Jun. 23 2015
990

interioresinteriores

fppLuisSenica SelecPortHoquePatins 640x353

Luís Sénica, o Diretor Técnico Nacional da FPP, abordou em reportagem ao Jornal "O Jogo", a criação das equipas mistas e da possibilidade de as atletas do sexo feminino poderem jogar nas equipas masculinas, exceto no caso do Campeonato Nacional da 1.ª Divisão. 

Na referida reportagem, é abordado o facto de o SL Benfica ser o único dos três grandes com equipa feminina, havendo depois clubes como Turquel, Académica, Carvalhos, Salesiana e Sanjoanense, que têm equipas masculinas e femininas e os que na sua formação contam com algumas praticantes entre os rapazes, que acabam por não ter solução mais tarde, por falta de equipa. Assim, a FPP sentiu necessidade de criar as equipas mistas, numa iniciativa divulgada no dia da Mulher a 8 de março. A partir desse ponto, houve a introdução da possibilidade da inclusão de atletas femininas nos Sub20, 3.ª Divisão e 2.ª Divisão, apenas esta última condicionada a um máximo de três atletas, pois anteriormente já era possível incluir atletas do sexo feminino até aos Sub17. Assim, Luís Sénica elogia a medida tomada, baseando-se num pressuposto de igualdade e que deverá ser trabalhado por todos, de forma a dar maior apoio à evolução do hóquei feminino. Para o DTN isto permitirá aos clubes uma maior fonte de recrtamento, havendo maiores oportunidades para as "jovens" praticantes, beneficiando também por consequência a Seleção Nacional Feminia. Agora restará aguardar para ver quem será a primeira equipa a aproveitar a oportunidade, com Luís Sénica a referir que a medida já vigora noutros países, sabendo que é normal haver alguma expetativa e resistência à mudança. 

Na mesma reportagem, Rui Neto antigo Selecionador Nacional e atual treinador do ADJ Vila-Praia, diz ser "uma questão de mentalidade", pois abre-se aqui uma oportunidade de continuidade para as atletas que até agora ficavam sem solução em alguns clubes, mas para o treinador do Vila-Praia, a utilização de atletas femininas acontecerá "se elas tiveram muita qualidade e se houver falta de atletas masculinos". "Só vendo a experência de alguém que entre e os resultados que consegue. Como em tudo, é uma questão  de mentalidade."

Foto: FPP | Fonte: Jornal "O Jogo"

workshops para rodapé Noticias ExtensãodeCabelo