a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Bernardo Ramalho reforça ...

segunda , Jul. 04 2022
91

Termas OC com 3 reforços

segunda , Jul. 04 2022
130

Francisco Beirante é ...

segunda , Jul. 04 2022
90

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
62106

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
30899

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
25047

Nuno Maia renova pelo HA ...

terça , Jun. 07 2016
1910

FPP Organiza Campeonato ...

quarta , maio 04 2022
264

Vigorosa e Carvalhos ...

quarta , Jul. 01 2015
1881

massagista inicial

APM GLZ1

Começou hoje em Barcelos o Torneio de Carnaval com a participação das seleções regionais sub15 da AP Minho, AP Aveiro, AP Porto e Galiza. No primeiro jogo defrontaram-se AP Minho e Galiza.

Apesar de já se terem defrontado por duas vezes nos últimos meses, as equipas entraram numa toada algo lenta e de estudo mútuo, com os espanhóis a mostrarem sempre mais perigo e objetividade a atacar a baliza. Com uma defesa muito pressionante criaram bastantes dificuldades à AP Minho que na primeira parte nunca se encontrou e apenas criou perigo nas transições e numa ou noutra jogada individual. A primeira parte terminou com o marcador em branco, muito por culpa da boa exibição do guardião Vasco Alves e algum desacerto galego, talvez o único capítulo do jogo onde os espanhóis não estiveram bem.

A segunda parte foi bem diferente da primeira. A Galiza começou a pressionar a campo inteiro e “perdeu” 2 minutos de jogo a acertar com a marcação, o Minho aproveitou e colocou-se na frente com um golo de Pedro Freitas a aproveitar uma transição rápida e uma falha de marcação. Apesar do golo sofrido os espanhóis não alteraram a sua maneira de estar na partida e empataram a uma bola quando faltavam 6 minutos para o final.

Ao entrar na fase decisiva, o encontro partiu-se e as oportunidades de golo surgiram do dois lados e aí a “sorte do jogo” sorriu aos galegos, que dispuseram de três bolas paradas com 100% de eficácia a punir dois cartões azuis a uma seleção minhota que perdeu o jogo quando decidiu arriscar em busca do prejuízo.

Vitória justa da Galiza.