a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

“Boas sensações e boas ...

domingo , Mar. 07 2021
19

Nuno Lopes renova com o ...

domingo , Mar. 07 2021
81

“Foi uma exibição muito ...

domingo , Mar. 07 2021
106

Hóquei fica mais pobre

segunda , Jul. 30 2018
60041

Patinagem reconhecida ...

segunda , Nov. 09 2015
27983

CM Feminino- Portugal ...

sábado , Out. 01 2016
22344

Paulo Freitas- “Estamos ...

sexta , Nov. 06 2020
180

Selecção de Sub-17 de ...

terça , Ago. 11 2015
1409

Carlos Nicolia é baixa, ...

quinta , Jan. 31 2019
977

2 Barbeiro Março

P9064601O União FE recebeu o ilustre SL Benfica para a apresentação da sua equipa sénior aos sócios e simpatizantes do Clube da Cidade Ferroviária, com a formação encarnada a golear a equipa unionista por 15-1.

A formação do SL Benfica apresentou-se na máxima força neste encontro, e desde cedo mostrou credenciais diferentes, para melhor perante a equipa da casa.
Desde o inicio a impor um ritmo muito forte, o conjunto de Pedro Nunes tinha no estreante Carlos Nicolia e em Diogo Rafael os estrategas da equipa que iniciou a partida. Com mais posse de bola e passes certeiros e com um jogo muito rápido, foi sem surpresas que o Benfica inauguraria o marcador, passavam 4 minutos de jogo, com Nicolia a marcar o seu primeiro tento com a camisola encarnada.
O União mesmo sabendo que não tinha os mesmos argumentos que o seu opositor, soube manter uma postura ofensiva, e não se inibiu, perante tantas “estrelas”. “Vieirinha” era o mais irreverente da equipa de Pedro Nobre, num conjunto que jogou olhos nos olhos com o seu opositor.
Até ao intervalo o Benfica aumentaria para 3-0, com golos de Diogo Rafael e “Tuco”, mas Nuno Nobre reduziria para 3-1, resultado com que as equipas recolheram aos balneários.
O Benfica, a exemplo do primeiro tempo entrou forte e depressa aumentou para 4-1 por Diogo Rafael.
O ritmo de jogo imposto pelo Benfica, que veio até ao Entroncamento não para brincar, mas de forma profissional, acabou por ser demasiado forte para a equipa local que com o passar dos minutos começou a sentir nas pernas o desgaste imposto pelas águias. A intensidade de cada um dos jogadores encarnados que não baixaram o ritmo nos cinquenta minutos de jogo, querendo mostrar serviço ao treinador Pedro Nunes, acabaria por dar em goleada. Isto a somar às muitas mexidas na equipa do União quebraram o jogo da formação local e a catadupa de golos nesta segunda metade foi evidente.
Fica para a história os bons golos que tivemos oportunidade de assistir, numa partida interessante e que pôs frente a frente duas realidades distintas do hóquei em patins.
A formação unionista deixou boa impressão, mostrando já trabalho de casa, e uma imagem de uma equipa bem trabalhada, com os reforços a serem opções muito válidas e que vieram acrescentar qualidade ao conjunto de Pedro Nobre.
Quanto ao Benfica, mostrou respeito pelo adversário, veio determinado, não chegou ao “Albano Mateus” para participar só na festa, mas sim para mostrar aquilo que vale, deixando água na boca em alguns momentos da partida. Excelentes executantes, com Carlos Nicolia a mostrar o porquê de ser considerado um dos melhores do mundo, pelo que jogou, e em particular pelo que fez jogar. Tiago Rafael, o outro reforço dos encarnados, embora mais comedido nas suas acções, é uma peça válida no conjunto benfiquista, pela experiência que traz.
Em suma excelente propaganda da modalidade, e que valeu o tempo despendido pelos espectadores que vieram até ao “Albano Mateus” no final de tarde de Sábado.

Pavilhão “Albano Mateus”

Árbitros: Carlos Fagulha e Rúben Saboga

União FE: Orlando Pereira (gr), Rui Alves, Carlos Fonseca, David Vieira, Nuno Nobre (1); Eduardo Fernandes, Bruno Pereira, João Mendes, André Vieira, Tiago Pereira, Ricardo Correia (gr) e Rosas (gr)

SL Benfica: Pedro Henriques (gr), Diogo Rafael (2), Carlos Nicolia (3), “Tuco” (2), João Rodrigues (3); Tiago Rafael (1), Valter Neves (2), Miguel Rocha (2), Carlos Lopez e Guillem Trabal (gr)