a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Jordi Bargalló renova ...

Quinta-feira , Jun 30 2022
4

Nicolía reagiu à ...

Quinta-feira , Jun 30 2022
7

Play-Off- Jogo 5- resumo ...

Quinta-feira , Jun 30 2022
6

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
62088

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
30884

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
25036

Fase Final dos ...

Sexta-feira , Jun 19 2015
1867

Dr. Mário Moreira e o ...

Segunda-feira , Abr 11 2016
2663

1.ª Div: Resumo 26.ª ...

Domingo , Jun 12 2016
2086

massagista inicial

cop

José Manuel Constantino tece críticas à "falta de resposta política" em relação ao Desporto.

O presidente do Comité Olímpico de Portugal (COP) criticou esta segunda-feira a "falta de resposta política" do Governo para com o setor do desporto face à pandemia de covid-19, após o envio de uma carta aberta ao primeiro-ministro.
Em declarações à Lusa, José Manuel Constantino menciona que a carta aberta, enviada a António Costa e assinada por COP, Comité Paralímpico de Portugal (CPP) e Confederação do Desporto de Portugal (CDP), vem pedir medidas para o setor, "na linha" de outras missivas já enviadas ao Governo, inicialmente "muito centradas" na resposta sanitária à pandemia, expondo agora um momento crítico para o desporto.

Ao lado da "completa ausência de resposta àquilo que a pandemia está a gerar no desporto", Constantino diz levar "em linha de conta que a partir do momento em que foi conhecida a situação de condicionamento à atividade desportiva, houve um conjunto de medidas" que permitiram evitar "um colapso na situação desportiva", como as relacionadas com os programas olímpico e paralímpico, estendidos até 2021.

"Só que a situação não se esgota nesse tipo de medidas. À semelhança do que os governos europeus têm feito, é necessário um pacote de medidas, designadamente de compensação financeira, para que os pequenos clubes possam ser ressarcidos, pelo impacto económico da paralisação, e possam manter-se em atividade. É absolutamente indispensável encontrar políticas públicas robustecidas em função do que a situação exige dos governos", afirma o dirigente.

Neste momento, algumas atividades desportivas correm o risco de "a prazo terem de paralisar", por "muita dificuldade em retomar alguma normalidade", e "o único modo de atacar" essa falta de capacidade "é com medidas de apoio, financeiro e não só, à semelhança do que está a ser adotado para outros setores da atividade social".

"O Governo tem adotado, e bem, um conjunto de medidas que permitam minorar os efeitos da situação pandémica, de natureza política, económica, financeira e fiscal. Aquilo que nós solicitamos é que, na linha das propostas que apresentámos ao Governo, haja também um conjunto de medidas para o setor desportivo", atira.

Fonte- Jornal “O jogo” * Foto- Carlos Pimentel/Global Imagens

Curso Barbeiro Completo