a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Alejandro Dominguez – “ ...

Terça-feira , Ago 20 2019
65

Juventude Ouriense quase ...

Terça-feira , Ago 20 2019
100

SL Benfica abriu ...

Terça-feira , Ago 20 2019
145

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
57126

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
25060

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
20024

O título está a uma ...

Domingo , Mai 19 2019
253

Convocatória da Seleção ...

Sexta-feira , Mar 09 2018
658

Bruno Moreira: “Este ...

Sexta-feira , Jan 22 2016
1102

interioresinteriores

image2 min

Triunfo garantiu a manutenção na segunda liga. Falta de condições no quotidiano dificultaram o progresso da equipa.

No passado sábado, dia 11 de Maio, a equipa sénior masculina de hóquei em patins da Secção de Patinagem da Associação Académica de Coimbra (SP/AAC) venceu o CRPF Lavra por 5-3 e, assim, arrecadou os três pontos que precisava para assegurar a manutenção. O capitão da equipa da AAC, Gonçalo Oliveira, afirma que na preparação para o jogo contra o Lavra, os jogadores tiveram de gerir o “aspeto psicológico” pois “é muito perigoso jogar contra uma equipa que não tem nada a perder”. Importante lembrar que, há algumas jornadas atrás, a formação de Matosinhos viu ser confirmada a queda para a divisão inferior. Ainda assim, Gonçalo Oliveira garante que não houve alterações na organização dos treinos.

Tendo em conta as dificuldades apresentadas no plantel na formação da Académica, devido a lesões, o capitão do grupo defende que a presente época acaba por ser ingrata. “Seria muito injusto a equipa da AAC, com o plantel que tem, descer à última divisão de hóquei”, completa, sem esquecer que o “teve de provar em campo”.

Apesar das condições dadas à secção, a presidente da SP/AAC, Cristina de Oliveira, garante que a equipa está sempre “preparada” e que joga por “amor à camisola”. Gonçalo Oliveira partilha da mesma opinião ao afirmar que a cultura desportiva em Coimbra é “questionável” e reconhecendo que lutar pela primeira divisão é “difícil com as condições atuais”. O capitão da formação dos estudantes aponta o espaço de treino, as horas de preparação para os jogos e a falta de apoios como principais dificuldades.

Contudo, a presidente da SP/AAC elogia os jogadores ao destacar que estes são “fantásticos e muito profissionais” e que o seu reconhecimento vai, não só para o grupo, mas também para o treinador e toda a secção. Gonçalo Oliveira garante não desistir do “sonho de subir à primeira divisão” e revela que vai continuar a jogar pela Briosa. O capitão dos estudantes deixa uma palavra de apresso a todos “que apoiam o hóquei da Académica”.

Fonte/Foto- -  www.acabra.pt  / Carolina d’Oliveira

FB Quarta