a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

AP Macau realizou a ...

Quarta-feira , Nov 13 2019
3

S. Pedro do Sul recebe ...

Quarta-feira , Nov 13 2019
51

Marcos Costa deixa o ...

Quarta-feira , Nov 13 2019
138

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
57548

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
25489

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
20309

1.ª D- Barcelos recebe ...

Quinta-feira , Mai 07 2015
975

Selecção moçambicana de ...

Segunda-feira , Jun 01 2015
1194

Parede FC - José Gago ...

Sexta-feira , Jul 22 2016
960

interioresinteriores

IMG 20180428 180539 HDR

AD Oeiras- SC Marinhense 2-5

O SC Marinhense venceu em Oeiras por 5-2 no jogo mais importante da 21.ª jornada, mas mais que isso deu um passo importantíssimo na luta acérrima com a formação da linha, pelo lugar de acesso direto à subida de divisão.
Era o jogo “do quase tudo ou nada” das duas formações. O Marinhense chegava ao Pavilhão da ADO com dois pontos de vantagem, com a equipa da casa a ter que jogar os trunfos todos para sair vitorioso, sob pena de ficar para trás e com o primeiro lugar praticamente hipotecado, quando faltam cinco jornadas para o términus do campeonato.
Jogo do gato e do rato, com nenhuma das equipas a querer assumir de forma clara o jogo, onde as cautelas defensivas ressaltavam à vista com o correr dos minutos.
Mais posse de bola por parte da formação da Marinha Grande, perante um Oeiras expectante e a procurar a baliza de forma mais objectiva. E numa jogada de envolvimento, Diogo Alves inaugura o marcador para o Oeiras, corria o minuto 15.
Últimos minutos do primeiro tempo de maior pressão do Marinhense que vê esse esforço compensado com o golo do empate apontado por Orlando Fernandes aos 21 minutos.
Segunda parte intensa, de boas oportunidades para os dois lados e onde os nervos, de parte a parte eram visíveis. Muita entrega, mas com o jogo a mostrar pouca fluidez.
Jogo equilibrado, embora com o Marinhense a mostrar melhor hóquei e a ter ligeira vantagem na posse de bola. Aos 8 minutos Dário Santo numa jogada individual coloca o Marinhense pela primeira vez em vantagem, mas Tomás Moreira dois minutos depois e de LD (a assinalar a 10.ª falta do SCM) a empatar a duas bolas.
Pedro Coelho quase de seguida tem oportunidade de colocar o Marinhense em vantagem, mas desperdiça o LD correspondente à 10.ª falta da formação de Oeiras.
Com os minutos a correrem céleres para o final, o Oeiras volta a ter oportunidade de ganhar vantagem, mas Tomás Moreira não consegue desfeitear Nuno Peça na marcação de um LD.
A equipa de Paulo Garrido arriscou nos minutos finais mas acabou por ser ultrapassada pela objectividade do ataque do Marinhense. Pedro Coelho faz o 3-2 para o Marinhense aos 22 minutos, e no minuto seguinte e Filipe Vaz a dar o melhor seguimento a uma jogada de contra ataque, fazendo assim o 4-2.
O Oeiras sentiu, e de que maneira, os golos sofridos, perdeu-se em termos coletivos e é novamente Filipe Vaz a marcar, apontado a um minuto do final o 5-2.
Vitória justa da equipa que melhor se adaptou às circunstâncias, teve maior maturidade, e soube gerir de forma inteligente as incidências do encontro. Com um plantel mais equilibrado, a formação orientada por Tiago Sousa saiu desta partida mais perto do objectivo da subida.
Já o Oeiras com este desaire, fica agora a cinco pontos do Marinhense, mantem intactas as intenções de poder subir, mas terá que lutar pelo segundo lugar, que dará direito a disputar a vaga que sobra (liguilha com o 2.º classificado da Zona Norte) para a subir.
Destaques neste encontro para “Toni” o guardião do Oeiras, que esteve enorme na defesas das suas redes, mas foi impotente para travar a avalanche de ataque que lhe foi surgindo pela frente. Nota de referência para o muito público afeto ao Marinhense, que acompanhou a equipa e foi claramente o 6.º elemento neste jogo.
Por fim uma palavra de apreço para a dupla de arbitragem neste jogo (Ricardo Leão e João Duarte) que com um erro ou outro, de pequena monta, souberam desde o inicio manter o rigor, dirigindo de forma simples mas eficiente este encontro que se antevia escaldante, mas que tiveram o condão de não complicar, com a ajuda dos jogadores que se preocuparam apenas em jogar. E quando assim é...