ADVPlantelCasa

O Jornal de Notícias lançou uma reportagem bastante interessante sobre a AD Valongo, que deixamos aqui para uma leitura pormenorizada.
«Os jogadores entram na pista e as bolas batem com estrondo nas tabelas. Está prestes a começar mais um treino no mítico pavilhão do Valongo. palco onde, há dois anos, se fez história no hóquei patins português. A 31 de maio, na última jornada do campeonato. o Valongo venceu o F. C. Porto, por 5-3 e sagrou-se campeão nacional pela primeira vez na história. Qualquer semelhança com a realidade atual é pura coincidência. De lá para cá.
os valonguenses. que seguem no oitavo lugar no campeonato, perderam jogadores como Rafa e TelPinto (F. C. Porto), Angelo Girào (Sporting), João Souto e Nuno Araújo (Oliveirense), Henrique Magalhães (Liceo. Espanha), Hugo Azevedo (Riba d'Avel e o cerebral Miguel Viterbo é agora o treinador tendo sucedido a Paulo Pereira na época passada.
As mudanças alargaram-se à Direção tendo José Dias recebido a herança de Álvaro Figueira. "Estou contente com o trabalho desta miudagem. Lá estamos a recuperar e acredito, que vamos acabar no quinto ou sexto lugar'. diz o empresário, que dá prioridade à estabilidade financeira. "Tão cedo não podemos pensar em ser campeões. Temos obrigações que não podemos falhar e estou a tentar arranjar patrocinadores. Só cheguei há quatro meses", justifica.
O rigor orçamental obrigou o clube a abdicar da participação na Taça CERS. "É péssimo. Para estes jogadores seria uma montra, mas esta Direção optou por resolver problemas e não estar à espera de promessas. Infelizmente, a ajuda da nossa autarquia é quase zero". aponta António Costa, diretor da secção e ex -jogador e treinador.
"No meu tempo, quando vinham cá jogar, os adversários tremiam. Não era por acaso que éramos conhecidos pelo San Siro [estádio do Milan e Inter. em Itália] do hóquei em patins.
É esse espirito que estamos a tentar incutir e acredito muito nestes rapazes". enfatiza. antes de explicar a presença do número 56 nos cabides no balneário: "É o total de títulos que estes jogadores já alcançaram. A equipa que foi campeã esteve três anos a ser preparada. Por isso. deem tempo a estes jovens. São fantásticos"»

ADVPRomessas

O futuro passa por eles
«Xavi é o único resistente no plantei que se sagrou campeão. Aliás, no mesmo ano o jovem jogador aliou o titulo de seniores à conquista do campeonato de juniores.
"Aquela equipa era especial e o grupo ajudou-me muito no trabalho que desenvolvi nos juniores. Havia um misto de veterania com juventude e mentalidade ganhadora. Procuro transmitir essa mítica aos meus colegas, mas nem sempre é fácil.
Estamos no bom caminho e a honrar o lema do clube: orgulho, raça e tradição". salienta o jovem estudante, de 21 anos. Na baliza Leonardo Pais tenta fazer esquecer Angelo Girão. "É uma referência, claro, mas quero fazer o meu caminho. Ainda não estamos onde queremos, mas o futuro é risonho", salienta, merecendo a aprovação de Pedro Mendes. que está de regresso a casa: "No ano do titulo estava em Barcelos e acompanhei o trajeto com emoção. Agora, não podemos entrar em comparações. Este grupo tem qualidade e está unido"»

ADVMecanicoViterbo

O mecânico: Rebuçados para mimar
«Há três anos no clube. José Cândido é o mecânico da equipa e o responsável pelos equipamentos. "Além disso, há os miminhos, que são os rebuçados, as bolachinhas. marmeladas e as maçãs.
Eles adoram". conta. enquanto abre a gaveta onde estão guardados alguns dos maiores segredos do balneário. "isto é uma familia que se ganha", diz. convicto, enquanto aponta na lista do material a existência de mais um stick partido. "É o pão nosso de cada dia. Quem parte mais é o Xavi", denuncia, sorridente.»

O treinador: Viterbo acredita na retoma
«O atual técnico, Miguel Viterbo, viveu por dentro a época do titulo. "SO acreditei quando fizemos o 5-3 ao E C. Porto. Depois do nascimento do meu filho, foi o dia mais importante da minha vida. Os planetas estavam alinhados. Foi o grupo mais ambicioso que conheci, tínhamos uma Direção forte, uma equipa técnica experiente e um público fantástico". Explica Viterbo, que admite que a fasquia está elevada: "0 que está a acontecer é normal, mas já iniciámos a retoma e, sinceramente tirando o jogo com o Bentica, não senti que fôssemos inferiores a ninguém. O balão encheu e depois esvaziou um bocadinho. Se calhar, o Valongo só volta a ser campeão daqui a 50 anos.
“Esta equipa tem uma média de idades de 22 anos", alerta o antigo comercial de elecomunicações, que agora está 100% focado no Valongo, onde também coordena a formação, em sintonia com o preparador-físico João Paulo Almeida.»

Foto|Fonte: Jornal Notícias

workshops para rodapé Noticias EscovaProgressiva