j rodrigues slb

AJ Viana – SL Benfica 4-5

Deve ser a sina da equipa de Pedro Nunes, esta temporada, ter que sofrer até aos últimos segundos para garantir os tres pontos. Mais que isso, fazer reviravoltas no marcador com o tempo mesmo a terminar. Aconteceu na última jornada frente ao OC Barcelos, na Luz e esta noite no Pavilhão de “Monserrate” em Viana do Castelo, a história repetiu-se com os encarnados a perderem por 4-3 e a conseguirem a reviravolta num ultimo minuto louco onde uma e outra equipa desperdiçaram bolas paradas. Mas a poucos segundos do términus do jogo uma grande penalidade que pareceu golo com João Rodrigues a festejar efusivamente, mas que foi defendida por Edo Boch, acabou por dar noutra grande penalidade pelo facto do árbitro da partida ter considerado que o guardião espanhol teria prendido a bola. João Rodrigues voltou à marca da grande penalidade e desta feita a não dar margem para dúvidas com a bola a entrar na baliza. Pouco depois terminava o jogo com a euforia a instalar-se na equipa encarnada, contrastando com o semblante de frustração dos jogadores minhotos que viram os tres pontos fugir por entre dedos, e com as decisões finais da arbitragem a serem alvo de enorme contestação por parte do público ali presente.
O Jogo até começou bem para as águias com Miguel Rocha a inaugurar o marcador e Nicolia pouco depois a aumentar para 2-0. Mais ainda antes do intervalo a Juventude de Viana reduziria por Nuno Santos.
Segunda parte que prometia e quem assistiu ao jogo não saiu defraudado com a equipa minhota a entrar decidida a empatar.
E foi o que aconteceu com Diogo Fernandes a colocar o placar em 2-2 e a partir daqui foi impróprio para cardíacos com qualquer uma das formações a poder sair vitoriosa.
João Rodrigues, de penálti fez 2-3, mas a Juventude de Viana conseguiu mesmo dar a cambalhota no marcador com Tó Silva, de LD e aos 22 minutos a ser Francisco Silva numa jogada de puro contra ataque a colocar a formação de Renato Garrido pela primeira vez na frente do marcador.
O Benfica no minuto seguinte chega ao empate num golo de antologia, diga-se de Carlos Nicolia, depois e Adroher ter desperdiçado um LD após a 10ª falta da AJ Viana.
À entrada do ultimo minuto Francisco Silva tem uma grande penalidade a seu favor, mas vê Traball defender, e segundos depois é a vez de Carlos Nicolia não conseguir desfeitear Edo Boch na transformação de um livre directo.
E quando tudo indicava que o empate seria o resultado deste encontro, dá-se a situação trás descrita, da grande penalidade, a 17 segundos do final e que João Rodrigues, à segunda consegue converter, e garantir assim uma vitória suadinha, tremida e com a estrelinha a sorrir, sem dúvidas, ao conjunto de Pedro Nunes.

workshops para rodapé Noticias ExtensãodeCabelo