a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

A lei do mais forte ...

Sábado , Jan 22 2022
13

2.ª Sul- Muches e ...

Sábado , Jan 22 2022
11

TP- Oeiras segue para os ...

Sábado , Jan 22 2022
13

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
61636

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
30160

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
24454

Discórdia entre Sporting ...

Terça-feira , Out 20 2015
1737

Nélson Filipe- Temos que ...

Quinta-feira , Mar 21 2019
854

1.ª Divisão- Resumo do ...

Segunda-feira , Out 04 2021
178

3 Cabeleireiro Inicial

Terronia

AEFD ADO

O Pavilhão da AE Física D recebe no próximo Sábado mais uma partida referente à Taça de Portugal relativa à 3.ª eliminatória, e que terá a equipa local a defrontar o Oeiras.
Jogo entre duas formações que militam na 2.ª Divisão e que esta temporada já se cruzaram, com a equipa de André Gil a levar a melhor nessa ocasião, e em casa do Oeiras por 8-3.
Dois Clubes históricos da associação de Lisboa, que militaram na primeira divisão durante várias épocas e são ainda hoje ícones no que toca a formação.
No caso do Oeiras com conquistas europeias pelo meio (tres Taças das Taças, nos anos 70), finalista por diversas vezes da Taça de Portugal, na sua época dourada do HP, hoje milita na segunda divisão, embora seja um Clube de referência e que luta sempre pelos primeiros lugares da tabela classificativa.
A AE Física por sua vez teve na última década a sua época de Ouro, tendo descido de divisão no final da temporada passada. Finalista vencido da Taça CERS em 2010 é o seu maior feito em termos desportivos, mas foi durante alguns anos uma das mais fortes formações do hóquei indígena.
Sábado, defrontam-se, com um passado recheado de histórias brilhantes e os que vão representar estes emblemas tem perfeita noção da responsabilidade que carregam nos ombros.
A equipa torreense que lidera o campeonato na zona sul, é favorita neste encontro, perante um Oeiras a viver de altos e baixos, com Carlos Pires, o seu técnico a ter que gerir um plantel onde a “cantera” tem tido uma palavra séria no projecto deste técnico.