a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Alejandro Domínguez- ...

Quinta-feira , Fev 27 2020
20

Taça Latina joga-se em ...

Quinta-feira , Fev 27 2020
64

AP Porto promove Curso ...

Quinta-feira , Fev 27 2020
23

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
58260

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
26144

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
20812

TP- Águias seguem em ...

Sábado , Mar 14 2015
1456

Agenda e Nomeações ...

Sexta-feira , Jan 05 2018
790

Bernardo Salvador – “um ...

Sexta-feira , Mar 03 2017
1033

interioresCabeleireiro ESS Q

HPIM0352

Fantástica moldura humana a que esteve presente no pavilhão municipal de Barcelos para assistir a um clássico da modalidade.
A finalização nomeadamente nos lances de bola parada foram determinantes.
O OC Barcelos falhou dois livres directos e duas grandes penalidades, enquanto que o FC Porto foi eficaz aproveitando 100% os três livres directos que teve ao longo do jogo.

O jogo começou com um Barcelos atrevido e um FC Porto na expectativa.
A postura atrevida do Barcelos deu resultado com Hugo Costa a fazer o primeiro golo do encontro aos 5'.
O FC Porto acordou e reagiu aos 7' por Jorge Silva que aproveitou um mau passe em zona proibida de Miguel Vieira.
A reviravolta apareceu aos 9' por Rafa na transformação de um livre direto a castigar falta de Hugo Costa.
O empate podia ter acontecido dois minutos depois mas Luís Querido permitiu a defesa a Nelson Magalhães numa grande penalidade.
A seguir Joca Guimarães viu o cartão azul com o jogo parado, mas imediatamente Jorge Silva recebeu a mesma punição ja com o a partida em movimentá, sendo esta castigada com livre direto que Miguel Vieira não aproveitou aos 15'.
Os lances de bola parada na eram aproveitados por parte dos minhotos que aos 16' voltaram a falhar desta vez de grande penalidade por João Candeias.
O empate acabou por acontecer numa jogada de insistência de Hugo Costa aos 19'.
Ate ao descanso o resultado não sofreu alteração,tendo ambas as equipas acumulado oito faltas.

Na segunda parte desde muito cedo, logo aos dois minutos as duas equipas passaram a ter nove faltas cada, situação que tirou alguma emotividade ao encontro.
Seria de meia distancia que o marcador viria sofreu alteração através de um remate de Pedro Moreira à passagem do minuto nove.
O OC Barcelos não baixou os braços, mas os lances de bola parada não eram definitivamente favoráveis.
Aos 12' Zé Pedro beneficiou de um livre direto a castigar a 10ª falta da equipa de Tó Neves, mas diante Nelson Magalhães falhou.
Quem não aproveita arrisca-se a sofrer e Hélder Nunes aos 14' aproveitando uma desatenção colectiva da defesa minhota fez o 4-2.
No minuto seguinte o OC Barcelos cometeu a sua 10ª falta e a diferença voltou a notar-se com Rafa a ampliar para 2-5.
Apesar da vantagem de três golos do FC Porto, o conjunto de Paulo Freitas procurou entrar na discussão do resultado tendo aos 19' Hugo Costa feito o 3-5.
Logo a seguir a turma portista beneficiou de uma grande penalidade tendo Reinaldo Ventura feito o sexto golo da sua equipa.
Já em cima do final o FC Porto fez o resultado final por Reinaldo Ventura de livre direto a castigar cartão azul a Luís Querido.