a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Santa Cita suspende ...

Segunda-feira , Jul 06 2020
7

Trissino apresenta “Caio”

Segunda-feira , Jul 06 2020
17

Bettencourt e André ...

Segunda-feira , Jul 06 2020
9

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
58946

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
26824

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
21369

Séniores de Parede FC ...

Quarta-feira , Set 02 2015
1088

Resumo Taça das Nações - ...

Quinta-feira , Abr 13 2017
1082

HC “Os Tigres”- II ...

Sexta-feira , Fev 05 2016
1045

pluri unhas J

AndréAzevedoUDO

Fomos conversar com André Azevedo, jogador da UD Oliveirense e abordamos o momento da UDO, mas também procuramos saber como vive uma nova etapa. Pai de Gustavo e Henrique, o experiente jogador, que já viveu imensas emoções durante a sua vida desportiva, vive-as agora também na bancada, enquanto acompanha os dois pequenos craques, que naturalmente seguiram as pisadas do pai e jogam nos Benjamins e Escolares do FC Porto.

Plurisports (PLR): Depois de uma fase menos conseguida, a UD Oliveirense tem vencido as últimas partidas. Quais os vossos objetivos para esta temporada?
André Azevedo (AA): É um facto que inicialmente as coisas não correram como esperado. Ainda assim, os objetivos da UDO mantêm se inalterados apesar de um início menos conseguido, lutar pelo 3° lugar e chegar às finais das taças.

PLR: Tens atualmente 38 anos e continuas a jogar ao mais alto nível. Como te sentes? Quantos anos mais pensas ainda jogar?
AA: Pessoalmente enquanto tiver prazer de jogar, da competição e sentir que tenho capacidade para ajudar a equipa vou continuar a jogar.

PLR: Agora tens os teus filhos, que seguiram as tuas pisadas e são pequenos craques do FC Porto. Como é ver esse crescimento na tua modalidade?
AA: É verdade! Os meus filhotes também já abraçaram a modalidade. Nesse papel, é ver o hóquei de uma maneira completamente diferente, quase que sinto as emoções deles em campo, é indescritível, mas acima de tudo tento ser Pai e pelo menos nesta fase que se divirtam.

PLR: Certamente acompanhas os jogos e treinos deles. Quais os conselhos que lhes dás? Eles ouvem-te?
AA: Não são muitos. Apenas destaco o nível qualitativo no treino e competição em relação ao meu tempo de escolar. O conselho que dou aos mais novos é acima de tudo evoluir no treino para poderem disfrutar no jogo.

PLR: O que pensas fazer no hóquei em patins, quando deixares de jogar? Ser treinador? Ser dirigente? Acompanhar apenas os teus filhos?
AA: A modalidade já me deu muito, cresci com o hóquei, não me lembro de não jogar hóquei, o que faz com que esta modalidade seja parte de mim. Por tudo isto, no dia em que deixar de jogar, obviamente vou abraçar outro projeto ligado à modalidade muito possivelmente treinador.

Foto: UD Oliveirense