a c e b o o k
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

  • Hot
  • Top
  • Outras

Filipe Bernardino fica ...

Segunda-feira , Jun 24 2019
99

Rodolfo Santos e a ...

Segunda-feira , Jun 24 2019
244

Torneio Internacional de ...

Segunda-feira , Jun 24 2019
362

Hóquei fica mais pobre

Segunda-feira , Jul 30 2018
56880

Patinagem reconhecida ...

Segunda-feira , Nov 09 2015
24864

CM Feminino- Portugal ...

Sábado , Out 01 2016
19842

Nuno Lopes e o empate ...

Segunda-feira , Out 27 2014
2292

1.ª D- SC Tomar entra a ...

Sábado , Out 08 2016
1661

Diogo Fernandes renova ...

Terça-feira , Jul 17 2018
343

interioresinteriores

FLorindoCardoso

Estivemos à conversa com o árbitro internacional Florindo Cardoso, do CRAHP do Minho, que tem 49 anos e reside em Alvelos, na cidade de Barcelos. Árbitro há 23 anos, começou as lides da arbitragem, pelo gosto em participar e fazer parte do jogo de hóquei em patins. Quisemos saber a opinião do experiente árbitro, que prontamente acedeu ao nosso pedido.

PLURISPORTS (PLR): Tendo em conta o papel do árbitro no jogo, como peça fundamental e indispensável ao mesmo, acha que os árbitros deveriam ser tratados de outra forma?
FLORINDO (FL): Eu penso que os árbitros são bem tratados e não podemos, nem devemos mudar a forma menos educada com que algumas vezes são tratados pois temos que entender que o desporto gera paixões, emoções fortes, o que leva alguns adeptos a cometer alguns excessos ao não aceitar as decisões tomadas pelos árbitros em relação a algumas situações no jogo.

PLR: O que pensa do estado da arbitragem e dos árbitros em geral? Estamos bem servidos?
FL: A arbitragem está bem e tem melhorado muito, mas ainda pode melhorar muito mais. De uma forma geral, os árbitros estão bem e com mais ou menos dificuldades vão atingindo os seus objetivos. Eu penso que estamos bem servidos de árbitros, em quantidade e qualidade.

PLR: Os árbitros portugueses apresentam boa qualidade, mas acha que poderia ser feito algo para ainda melhorar?
FL: Sim os árbitros portugueses são de excelente qualidade, mas podia-se melhorar se fossem criadas condições de treino em pista e mais estudo sobre as regras, o que obrigaria os árbitros a estarem mais disponíveis, o que não é muito fácil visto que todos os árbitros têm os seus empregos e com horários diversos, o que torna o treino e estudo muito difícil e por este motivo o melhoramento vai-se conseguindo mas muito devagar e à custa de muito sacrifício.

PLR: Quais os momentos positivos mais marcantes da carreira? Quais os momentos menos positivos?
FL: O momento mais positivo, foi ter conseguido atingir a categoria de árbitro internacional. Momentos menos positivos não tenho, porque para mim todos os momentos na arbitragem são positivos.

PLR: Quais objetivos a curto/médio prazo?
FL: Eu não traço objetivos nem a curto nem a médio prazo porque tento sempre dar o meu melhor, para atingir o mais alto nível possível de qualidade.

PLR: Qual o jogo/competição que sonha um dia apitar?
FL: Eu não sonho com jogos, pois estou sempre preparado para apitar os jogos para os quais as entidades competentes entenderem que eu sou o árbitro certo para esse jogo.

PLR: Que mensagem deixa a todos os intervenientes do Hóquei em Patins?
FL: Que o hóquei volte o mais rápido possível a ser o desporto das grandes paixões e emoções que outrora já foi e principalmente que volte a ser um verdadeiro espetáculo desportivo, para que os recintos desportivos voltem a encher de espectadores, porque só com muitos espectadores é possível existir bom hóquei patins.

Foto: Facebook do árbitro